Item List

9f28d9c8-73ae-416e-92a1-9990b05fd49b

Número.; 114. Quando pensamos o que não queremos pensar

[Aguarde o carregamento] Dos cerca de seis mil pensamentos que temos por dia, muitos são involutários, vêm à nossa mente independentemente da nossa vontade. E no meio destes, às vezes aparece um sobre algo que a gente rejeita e jamais faria de sã consciência. Quando nos causam perturbações emocionais – como ansiedade, vergonha, repulsa ou culpa –, esses pesamentos são chamados de "intrusivos". Vamos explorar de coração aberto, sem julgamento, essa temática dos pensamentos que não queremos ter.

a9fbb759-06fb-4a9c-a85e-a4d09af7391f

Número. 113. Detox mental | Parte 3

Pensamentos em excesso, aflitivos, pessimistas, de ruminação ou preocupação saturam a mente. Desintoxicá-la passa também – e acho que principalmente – por aquietar os pensamentos. Não é tão complicado quanto parece. Podemos começar com exercícios simples e ir aumentando sua frequência e duração até adquirir o hábito de nos aquietar em momentos do dia para arejar a mente, relaxar o corpo e nos nutrir do nosso próprio cuidado.

2b942440-e9a6-4128-82be-f23c19260f44

Número. 112. Detox mental | Parte 2

[Aguarde o carregamento, pode levar um minutinho] Vamos fundo nas razões porque intoxicamos a nossa mente e como o fazemos. Os estímulos de que nos cercamos – sensações, informações, atividades, pensamentos – são como alimentos que de alguma forma nos nutrem. A princípio, esses "alimentos" são necessários; podem ser saudáveis ou não, nutritivos ou tóxicos, dependendo do que consumimos, do quanto consumimos e do quão conscientes estamos desse consumo.

8f596f01-96e9-43e5-a634-28be46765eca

Número. 111. Detox mental | Parte 1

[Aguarde o carregamento do player, pode demorar um minutinho]

Nossa mente pode ficar intoxicada com informações em excesso, pensamentos negativos, notícias trágicas, a zoeira das redes sociais, ruminação de fatos passados, preocupações com o futuro.... Neste episódio, vamos conhecer o que a neurociência descobriu sobre o silêncio como recurso para um detox mental. Precisamos aprender a valorizar e criar diferentes formas de silêncio em momentos do dia. Isso se torna cada vez mais necessário na nossa vida.

fb70b7e2-de7a-4e9a-bc02-912989cd6701

Número. 110. Para onde caminnha a humanidade?

[Aguarde o carregamento do player, pode demorar um minutinho]

Ou talvez a questão seja "como" caminha a humanidade... Vamos buscar na filosofia um entendimento sobre tornar esse caminhar mais consciente e menos sofrido com as ideias dos filósofos estóicos, que são muito voltadas para o enfrentamento das dificuldades da existência, a crise, a perda, a noção da finitude, questões que estão muito presentes hoje.

Acompanhe as discussões do Autoconsciente no Instagram pelos perfis @regina.giannetti e @vocemaiscentrado

1d8b5b25-08be-4224-a368-1c0a841b0601

Número. 109. Autodisciplina

[Aguarde o carregamento, pode levar um minutinho] Fortalecer a autodisciplina não é só uma questão de "vai lá e faz". É preciso também considerar as vozes interiores que a comprometem. São tantas as vozes dizendo coisas diferentes, muitas vezes até conflitantes, como se dentro de nós estivessem disputando um cabo de guerra, a nos puxar para lá e para cá. Como se dentro de nós vivesse uma pequena multidão de pessoinhas, cada uma com ideias próprias sobre o que é melhor para a nossa vida. Ignorar essas vozes, ou tentar abafá-las, só vai fazê-las mais estridentes e tornar as coisas ainda mais difíceis para nós.

ce679c87-b792-483e-a458-df6d900fb5e5

Número. 108. Autoconfiança

Autoconfiança não é sinônimo de ser o bambambam, aquele que encara tudo; tem a ver com autoconsciência, saber quem somos e o que podemos e não podemos. Autoconfiança tampouco é uma coisa monolítica, do tipo que temos ou não temos por completo. Na verdade, somos autoconfiantes para algumas coisas e para outras não. Vamos então explorar o que nos impede de ter mais confiança em nós em certas situações da vida e visualizar caminhos para fortalecê-la.

013573d2-ec99-45fd-92da-2ff3f1f4b7f3

Número. 107. Negação da realidade

Todos nós podemos inicialmente entrar em negação de uma situação difícil, inesperada, ameaçadora que se apresenta em nossa vida. Mas entre negar inicialmente e continuar negando há uma grande diferença. Permanecer na negação não muda nem faz desaparecer a realidade. Mais cedo ou mais tarde ela bate à nossa porta, às vezes arromba a porta, e a gente cai na real com muita dor. Comentando passagens do filme "Não olhe para cima", convido você a refletir sobre como (não) lidamos com a realidade enquanto indivíduos e enquanto humanidade.

1aede3fe-aef5-4d3f-83a4-ff475459fa22

Número. 106. Falta de ânimo

É compreensível uma certa falta de ânimo diante de situações que estão postas na nossa vida pessoal, profissional, nossa vida como brasileiros, como habitantes do planeta Terra neste conturbado Século 21. A vida não está facil mesmo. Mas também não vamos nos resignar a essa falta de ânimo, nos deixar rolar ladeira abaixo. Precisamos dar uma sacudida, reunir as nossas forças para realizar uma ação, tomar uma atitude, fazer uma mudança.

bb92a2e5-249d-4cd0-ba58-9cbff1410ce7

Número. 105. Especial | Trilha sonora

Quando comecei a criar o projeto do Autoconsciente, uma das primeiras ideias que tive foi usar uma música para fechar cada episódio. A música transmite aquilo que não dá para dizer com palavras; inspira, emociona, eleva, alegra. Com a evolução do podcast, a trilha sonora passou a estar cada vez mais presente, criando um pano de fundo para os assuntos e enriquecendo a experiência do ouvinte. O Autoconsciente não seria o mesmo sem ela! Reuni neste áudio músicas que foram temas de episódios. Quase todas são produções especialmente criadas para trabalhos de comunicação e licenciadas para o podcast. Elas agora podem ser a trilha sonora do seu dia, inspirando bons sentimentos. Escute e desfrute!

de9cdefb-6397-4ea6-b3fd-3b3faf1bcd5b

Número. 104. Para um fim de ano

Estou passando por aqui para deixar uma mensagem de fim de ano pra você e compartilhar um pouco mais sobre descanso – agora, sobre sete tipos de descanso, para que a gente possa restaurar as nossas energias em aspectos diferentes da vida.

7785ae73-5d53-428c-9f5f-0c2a77c16e3a

Número. 103. Necessidade de descanso

Nestes tempos de comércios abertos 24 horas, linhas de produção que nunca param e entretenimento ininterrupto, nós perdemos a noção dos limites do nosso corpo, da nossa mente, da nossa energia vital. Este é um episódio para nos lembrar da importância do descanso, das funções do sono e do direito de não fazer nada às vezes. Depois de 21 meses de pandemia e tudo que a gente passou, quem é que não está precisando descansar?

8b4fc2fb-4e9e-4fed-b762-9b6a7dbf5de2

Número. 102. O ego não é um inimigo | Parte 2

Nosso ego criou uma "melhor versão de si mesmo" para se adaptar às exigências da vida da maneira que lhe foi possível, mas é uma parte muito limitada do que temos potencial para ser... Vamos entender o seu papel no caminho da individuação, o processo de integração das muitas partes de nós segundo a psicologia de Carl Jung. No caminho da individuação, o chamado é constante e segui-lo, uma escolha.

7fd63ec0-3224-4395-9178-3d858c9d1eb7

Número. 101. O ego não é um inimigo | Parte 1

A palavra "ego" é muito usada como sinônimo de traços negativos da personalidade, e é comum considerá-lo um inimigo interno a ser aniquilado. Do ponto de vista da psicologia analítica, porém, o ego é uma dimensão da nossa psique que não faz outra coisa senão agir por nossa autopreservação. Se o propósito da vida é a realizar a totalidade do que somos, isso passa por fazer as pazes com o ego. Precisamos dele para o nosso desenvolvimento psicológico e espiritual.

7e5e3894-6ee2-4d4a-b15c-636416245997

Número. 100. Reflexões sobre o propósito

"Qual é o seu propósito?" O mundo nos cobra uma resposta a essa pergunta. Sabê-la se tornou mais um item da nossa "to do list", mais um "must have" da vida, o que cria uma angústia para sermos resolvidos nessa parte. Mas será mesmo que a gente "tem que" ter uma resposta pronta para isso? Talvez não... Eu lhe convido a expandir a compreensão do propósito de vida, e quem sabe você não perca mais o sono com ele.

711e9096-62bf-425f-83fb-628385149a68

No. 99. Prosperidade

Vamos celebrar o nonagésimo nono episódio do Autoconsciente! Ele tem sido até aqui um projeto próspero: teve uma fase de germinação, cresceu, se desenvolveu e hoje dá muitos frutos. Compartilho com você um pouco dessa trajetória e reflexões sobre atitudes que favorecem a prosperidade dos nossos projetos.

28850fb6-07ac-4aa9-b761-cace4898fde7

No. 98. Necessidade de controlar

Ter sob controle certas situações da vida é necessário e saudável para o nosso senso de poder pessoal. Mas podemos passar do ponto querendo controlar muitas coisas, pessoas ou aquilo que é incontrolável. Vamos refletir sobre essa nossa necessidade de controlar e reconhecer o que pode estar por trás dos nossos contoles excessivos.

4db2ff1a-8a90-4fa7-9797-f30ac6553c5c

No. 97. Preocupação

Em algum grau, a preocupação está na vida de todos nós, sem exceção. O que pode ser diferente para cada um são os objetos de preocupação, a sua frequência, a sua abrangência. Vamos escavar raízes das nossas preocupações e explorar possibilidades para lidar com elas. Não basta a gente sair cantando por aí "don't worry, be happy", "hakuna matata", pensar positivo simplesmente. Isso seria uma forma de positividade tóxica, que nega os nossos sofrimentos. Um pouco de preocupação sempre vai existir na nossa vida, mas podemos não sofrer em vão com ela.

3b73f537-d2f6-4ca5-bfbf-047e03b69540

No. 96. Quando sentimos raiva

A raiva é uma emoção de alta intensidade, difícil de lidar. Tem um potencial destrutivo, mas pode ser canalizada construtivamente, para criar mais equanimidade nas nossas relações. Neste episódio, eu compartilho com você a abordagem da Comunicação Não Violenta, a CNV, para lidar com a raiva construtivamente.

a9072dc1-a4f5-4a24-a5fc-891b2acc91fe

No. 95. Desistir é uma opção

Quando a pressão por atingir resultados compromete a nossa saúde mental, sempre poderemos dar um passo atrás - como fez a ginasta americana Simone Biles, que desistiu de participar de provas das Olimpíadas de Tóquio. Este é um episódio para a gente refletir sobre a obsessão por "conseguir", o excesso de positividade e outros aspectos destes tempos que estamos vivendo. Desistir de uma coisa em nome de algo maior não é fraqueza, mas coerência. Não é vergonhoso, mas digno. Não é limitante, mas libertador. Tudo bem desistir. Desistir é uma opção.

6221a50b-d433-4a83-b228-e4ad82cdc759

No. 94. Mudando a relação conosco mesmos

É possível nos compreendermos melhor, nos gostarmos mais, sermos o nosso melhor amigo e protetor. E conforme a nossa conversa interior se torna mais gentil, a autocrítica severa e o autojulgamento impiedoso perdem espaço. Esses são os efeitos da autocompaixão, que nos apoia nos momentos difíceis da vida. Neste episódio, compartilho com você como começar a desenvolvê-la.

ea4690f8-10db-45c6-96de-5635e50b6e27

No. 93. Precisamos ter autocompaixão

Ela é um gênero de primeira necessidade neste mundo que nos faz tantas cobranças; que nos leva facilmente a uma profunda insatisfação conosco mesmos, a sentimentos de inadequação, de insuficiência, de inferioridade, de falta de valor. E o que fazer com isso? O que fazer quando nos sentimos com medo, por baixo, miseráveis, vulneráveis? É aí que entra a autocompaixão. Ela é um bálsamo para o mal-estar que sentimos em muitas situações da vida.

c090e26b-e04f-4f57-ba9d-bfda893f564b

No. 92. O "efeito sombra" em nossa vida | Parte 3

Algo que faz o nosso lado sombra ser complicado de lidar é a existência do mal em nós. Então vamos entender por que temos um lado mau e como sua origem está ligada ao medo. Este é um episódio para lavarmos a alma e conhecermos caminhos para a redenção da nossa sombra.

dbb7cf19-856f-47c0-bd2d-b892a61e6b46

No. 91. O "efeito sombra" em nossa vida | Parte 2

Como reconhecer os conteúdos da nossa sombra é o que vamos explorar neste episódio, para a gente aprofundar o nosso autoconhecimento e começar a entender as razões de situações incômodas de nossa vida. Esse é o necessário trabalho de olhar para dentro, reconhecer as partes de nós relegadas às sombras e trazê-las à luz, para serem redimidas. As recompensas são a cura emocional, a liberdade, a leveza.

e601a0a9-ebda-4e1a-8a36-3bb951f16ade

No. 90. O "efeito sombra" em nossa vida | Parte 1

Tudo aquilo que rejeitamos, reprimimos, condenamos ou escondemos habita uma dimensão da nossa psique que Carl Jung chamou de sombra. Neste episódio, vamos entender como se forma e atua essa parte de nós. Os conteúdos da nossa sombra são a causa de muitos dos nossos conflitos, ambiguidades, culpas, dificuldades de relacionamento com os outros e principalmente conosco mesmos.

2b157c5b-ce66-4ae3-9d9a-ffdca35f37c1

No. 89. Resiliência

As adversidades que inevitavelmente surgem ao longo da existência estão ainda mais presentes nos tempos atuais. Então, para a gente nutrir a confiança na nossa capacidade de lidar com as adversidades da vida – e também a confiança na vida –, vamos falar de resiliência. Nós não voltamos a ser os mesmos depois de sair de uma adversidade que enfrentamos resilientemente: saímos maiores.

b722c2c2-7ff1-46eb-9c7a-1f3eb2c5bb72

No. 88. Persona: como nos apresentamos ao mundo

Levar uma vida mais autoconsciente passa pela consciência de como exercemos os nossos diversos papéis sociais. E essa questão ganhou ainda mais importância no contexto pandemia, que impõe limitações ao modo como os exercemos e nos apresentamos ao mundo – a nossa persona, segundo Carl Jung. Então vamos aproveitar esse gancho para explorar mais uma dimensão da nossa psique e entender alguns dos nossos conflitos e contradições.

9310dacf-03a4-40d9-a707-9d85829ac501

No. 87. O que é essencial na vida?

Quem somos nós, no centro de tudo o que gravita ao nosso redor: roupas, eletrônicos, livros, utensílios, móveis, sapatos, bens e experiências de consumo das mais diversas? Neste episódio, vamos refletir sobre a nossa relação com as coisas do mundo exterior. Viver com o que é essencial, como propõe o minimalismo, é um caminho para uma vida interior mais rica, mais alinhada à nossa essência.

e77d7868-745f-4282-af9e-7e8eb735454e

No. 86. Angústia e a busca de sentido

Ela é declamada em poesias, dissecada por filósofos, levada aos divãs dos psicanalistas. Outros sentimentos podem se fazem passar por ela, mas a legítima angústia é enigmática, é misteriosa. A sua causa se esconde em um lugar muito profundo em nós. E vale a pena visitar esse lugar. Resolver-se com a angústia é resolver-se com o sentido da nossa existência.

768b170e-777c-4a38-8ae0-8a4c919d9412

No. 85. Até quando teremos que aprender pela dor?

Se no plano pessoal a dor impulsiona para o crescimento, no plano coletivo não haveria de ser diferente. Compartilho com você algumas reflexões sobre a difícil fase por que estamos passando enquanto humanidade. Podemos ver nisso tudo um sentido que nos dê coragem para enfrentar o que mais vier por aí, disposição para agir e esperança de que nada será em vão.

391b8975-1849-48ad-b117-ea7f584d5f3c

No. 84. Por que precisamos aprender pela dor?

“Se não aprendemos por amor, aprendemos pela dor”, diz o ditado. Vamos então refletir sobre o papel da dor na nossa vida. Eu não vejo a dor como um castigo, mas um sinal. Se em vez de negar, lutar contra ou fugir da situação que nos causa dor a gente olhar para essa situação e procurar entender o sinal – e aí tomar uma atitude –, então nós poderemos aprender com ela. E não precisaremos repetir a lição.

d115babe-e574-4adc-8a12-29c8b08ef23a

No. 83. Quando é difícil decidir

Muitas opções para analisar, não querer abrir mão uma coisa para ficar com outra, ansiedade, uma angústia paralisante, dúvidas. Essas são dificuldades comuns quando a gente precisa tomar decisões importantes para a nossa vida. Vamos explorar os motivos por que as temos e o que pode nos ajudar a decidir.

1017dbeb-3d13-4fee-a847-e3b48ef92782

No. 82. Jhonny e Tequila | Sobre padrões de comportamento

Pois é, eles continuam aprontando e tem mais histórias desses furacões para contar. Depois de arrumar encrenca com a vizinhança, o Jonny e a Tequila passam por uma temporada de adestramento, o que nos faz refletir sobre padrões de comportamento – não só de cachorros, mas também de seres humanos.

03b0df9a-12b4-43a4-ab3a-2196dfdfda48

No. 81. Por que nos sabotamos

Na origem de uma atitude de autossabotagem existe algo que estamos querendo evitar. Se é assim, entender por que nos sabotamos nos revela uma crença limitante, um medo, uma insegurança, um apego, uma resistência. Nos revela algo que precisa ser trabalhado para a nossa realização.

5f221d6f-ef08-4e56-ba36-4d32dd5401be

No. 80. Quando sentimos saudades

A saudade se apresenta de várias formas, se misturando com outros sentimentos. Pode ser dolorida, apertar a garganta e transbordar em choro. Pode nos fazer fechar os olhos e suspirar. Pode ainda ser carregada de ternura, aquecer o coração com lembranças felizes, até nos fazer sorrir. Do que temos saudades? Como nos sentimos e o que fazemos quando esse sentimento aperta? Vamos falar disso um pouco...

d375ec2b-7862-491a-81a4-cc8d367e0e43

No. 79.2. A Lagarta na Janela | Remix

Um dos episódios mais inspiradores do Autoconsciente volta em nova versão, ainda mais bonito, marcando a entrada em 2021 com um texto que convida a contemplar os mistérios da vida. Vamos refletir soobre aquilo que está além da compreensão da nossa mente racional, causal e lógica. Nos lembrar que há fenômenos que estão fora da nossa esfera de influência, operados pelo Universo. E a história da lagarta na janela é perfeita para isso, não é? Transmite uma mensagem de confiança na vida - e eu acho que a gente vai precisar muito disso em 2021.

859c445b-78c1-4a62-bcee-026c66d67057

No. 79. Saindo de 2020

É natural que a gente deseje esquecer das provações de 2020. Mas não vamos esquecer das lições de 2020. Não vamos sair deste ano de mãos vazias. Convido você a relembrar algumas reflexões dos episódios de 2020, para fechá-lo olhando para a frente, para o que a gente deseja mudar na nossa vida, enquanto pessoas e enquanto sociedade. Não tem como negar, nós estamos vivendo um momento de grandes transformações.

ccd2aca0-82ed-44e3-9033-ee21fcc28372

No. 78. Quando dificuldades trazem algum bem

Neste singular ano de 2020, surgiram para todos nós situações difíceis, no mínimo algo que mudou a nossa rotina – e, em muitos casos, botou a vida de cabeça para baixo. E aí precisamos fazer algo a respeito: nos adaptar, ou fazer mudanças, ou criar soluções, ou buscar alternativas. Este episódio é um convite para você reconhecer o valor dos esforços que tem feito, suas descobertas e aprendizados, o quanto você amadureceu. E talvez você chegue à conclusão de que mesmo as situações difíceis podem nos trazer algum bem.

87c11d71-bcfd-4ff1-a30f-c9ac15d176e0

No. 77. O que nos dá forças para continuar

Chegando ao final de um ano tão cansativo, ouvintes do Autoconsciente compartilham o que lhes dá forças para seguir em frente. Se as nossas preocupações e problemas são parecidos, o que nos fortalece também pode ser! E, no final deste episódio, vamos fazer um exercício de autocompaixão para nos pacificar em momentos de angústia.

be5e82de-afc5-4896-90cf-ab0b52bc9a91

No. 76. Alegria

A alegria é o estado natural de uma criança. Mas, na vida adulta, a experiência da alegria é bem menos frequente que na infância. Como adultos, temos um senso mais amplo de realidade, responsabilidades, preocupações... Ainda assim, nunca perdemos a capacidade de nos alegrar. A fonte da nossa alegria não é externa, é a nossa criança interior. E para ela, essa emoção tão bonita pode ser despertada de formas muito simples.

a4f81aa5-da73-445f-a5b4-1da746892dcb

No. 75. Acolhendo a nossa criança interior | Parte 2

As feridas emocionais da infância não se curam sozinhas, não se apagam com os anos. Mas sempre é tempo para resgatar a nossa criança interior ferida, aliviar suas dores e dissolver seus medos. Temos em nós essa criança que clama por amor e cuidado e também o adulto que é capaz de cuidar e proteger. Que pode entender a vida de uma forma mais madura, acolher a criança ferida e dizer “já passou”.

26f18f09-1c97-404f-a76c-96d94dc7a9b1

No. 74. Acolhendo a nossa criança interior | Parte 1

Vamos mais fundo na questão das experiências emocionais da infância. Porque a influência delas vai muito além da nossa vida afetiva. Se temos inseguranças, se somos muito severos e críticos conosco mesmos, se temos baixa autoconfiança, se nos julgamos insuficientes, se temos culpas, se não nos valorizamos, se somos rígidos, ou explosivos, enfim, os nossos padrões de sentimento e comportamento têm suas raízes na infância. E se queremos nos libertar dos limites e bloqueios que esses padrões trazem para a nossa vida, precisamos olhar para a criança que fomos, compreendê-la e acolhê-la. Porque ela vive em nós. Na nossa psique.

9de6486e-179b-4fd4-bfa6-d96f6e93a2fb

No. 73. Nós e a Natureza

Vamos refletir sobre a nossa relação com a Natureza. No plano do coletivo, da humanidade, é uma relação ainda dominada pela inconsciência do quanto todas as formas de vida do planeta são interdependentes. Mas é no plano individual, de cada um de nós, que a consciência da interdependência começa. Então precisamos expandi-la e ter ações coerentes para que essa consciência se espalhe cada vez mais pela humanidade.

4c19ea2f-a715-452c-9d12-e51d85017879

No. 72 - Relacionamento amoroso | Parte 2

Continuando a discussão das dificuldades e desencontros no relacionamento amoroso, vamos abordar o estilo de apego evitante e o temeroso. E refletir sobre caminhos para o apego seguro. Enquanto imperar em nós a avidez por receber afeto ou o medo de dar, não teremos descanso. O amor que realmente nos preenche é o que transborda do nosso coração.

93a6c8b4-f32c-4906-b83a-80928c42a966

No. 71 - Relacionamento amoroso | Parte 1

Vamos explorar os porquês das nossas dificuldades no amor com base na Teoria dos Estilos de Apego. Se a gente se perguntar de onde essas dificuldades vêm, elas deixam de ser um mistério e se tornam um caminho para o autoconhecimento e para um relacionamento mais harmonioso conosco mesmos, antes de mais nada. E isso vai se refletir nos nossos relacionamentos com os outros.

Livro "Que Você Esteja Bem - Em Tempos de Incerteza, com o texto de episódios do Autoconsciente podcast : https://www.amazon.com.br/dp/B08FZTF36L

8a6126e7-83b7-42ed-ae1c-0b201484e05b

No. 70 - Jonny e Tequila | Sobre os nossos impulsos

Depois de uma sequência de temas profundos, vamos dar umas risadas. Eu volto com um daqueles meus “causos” e conto as peripécias do Jonny Walker e da Tequila, adoráveis cachorrinhos que minha família adotou. Mas não vamos ficar só na história... Sempre há o que aprender e refletir e, neste episódio, é sobre os nossos impulsos.

Livro "Que Você Esteja Bem - Em Tempos de Incerteza, com o texto de episódios do Autoconsciente podcast : https://www.amazon.com.br/dp/B08FZTF36L

5f564109-6772-4ae4-bd80-02535578022b

No. 69 - Sobre perdoar ao outro

Perdoar é esquecer ou lembrar sem dor? Como saber se a gente perdoou de fato? Vamos entender o processo do perdão e conhecer um caminho para perdoar. Quando você perdoa, torna-se livre para levar sua vida em frente, para amadurecer, para deixar de ser uma vítima. Quando você perdoa, seu futuro é desatrelado do seu passado.

f3ba0b6e-22c9-4994-8547-367e5be1020b

No. 68 - Sobre perdoar-se

Podemos ser perdoados e ainda assim continuar sentindo culpa. Sem contar que, muitas vezes, a culpa não é pelo que fizemos a alguém, mas a nós mesmos. Então, em última análise, precisamos nos perdoar – mas é aí que está a nossa dificuldade. É possível nos perdoarmos verdadeiramente? Como fazer isso? É do que trata este episódio.

729d836e-963d-4f45-9553-1a1f09ba965e

No. 67 - Culpa

Alimentamos o sentimento de culpa por acreditar que o autojulgamento e a autopunição vão nos absolver dos erros que cometemos. Mas não é o que acontece. Torturar a nós mesmos não é uma forma pagar pelos nossos erros! Neste episódio, vamos praticar a escuta das culpas de todos nós, para deixar surgir um sentimento de compaixão. A culpa não é obrigatória, é opcional. E não é definitiva, pode ser dissolvida pelo autoperdão​

b4c602ba-cc94-409c-80ae-370eed5200c0

No. 66 - Sobre lidar com perdas

O fim de um relacionamento, a partida de alguém querido, a demissão de um emprego, a falência de um negócio, uma mudança que desestrutura a nossa vida. Do ponto de vista emocional, essas situações representam perdas, e precisam de um luto. Vamos aqui conversar sobre esse processo, suas fases, como lidar com os sentimentos. Ao longo da vida teremos inevitavelmente muitas perdas. Mas isso não nos impede de construir coisas lindas ao redor dos espaços que elas deixam em nosso coração.

9fb9bf1d-2ad0-4f77-a99a-417ea32244c0

No. 65 - Saúde mental sem tabu

Estão presentes situações que elevam a temperatura emocional em todos nós - estressam, provocam ansiedade -, e isso pode afetar nossa saúde mental. É o momento em que, definitivamente, precisamos ter maior compreensão dos transtornos da mente. Olhar para eles sem preconceito e saber quando é hora de buscar ajuda, e como.

6ac24e23-e290-479c-9d52-bf418c0a1270

No. 64. Um novo caminho para a nossa vida

Pandemias mudam o mundo, como mostra a história, e há um novo projeto de humanidade sendo gestado. Nós já temos os recursos materiais para começar esse projeto, mas precisamos de uma profunda mudança de mentalidade para que ele se espalhe. Mais do que isso, precisamos acreditar que uma mudança é possível e também desejá-la.

d03a8359-4720-4d3e-aa78-e09ba7c1487e

No. 63. Para um momento de medo | Meditação guiada

Esta é uma meditação que complementa o episódio 62 – Quando sentimos medo. Vamos nos apaziguar com um gesto de autocompaixão, lembrar nossa humanidade compartilhada e escrever uma mensagem confortadora para nós mesmos. Busque um lugar em que possa ter privacidade, tenha à mão papel e caneta e permita-se essa experiência.

628af965-6198-45ef-9152-92dd22aba0f1

No. 62 - Quando sentimos medo

Precisamos falar disso sobretudo agora, num momento em que essa emoção está muito presente na nossa vida, coletivamente presente. É permitido sentir medo. Não estamos sozinhos nos nossos temores. Não é o caso de combater o nosso medo, nem tentar fugir ou nos livrar dele, mas também não precisamos alimentar o medo com os nossos pensamentos. Existe aí um caminho do meio, que é acolher e apaziguar o nosso medo.

7c6037f4-f096-4fd9-beda-7d74f03f8ae6

No. 61 - Equilibrando os pratinhos da nossa vida

Conciliar home, office e todo o resto faz a gente se sentir como o artista de circo que corre de um lado para outro, pra manter pratinhos girando na ponta de varetas. Vamos conversar sobre dificuldades que estamos encontrando para equilibrar os pratinhos da nossa vida. Talvez seja o caso de diminuir o número de pratos... E tudo bem se alguns deles caírem!

5b3fb2d0-b85a-4c52-9c94-e9a229338f8f

No. 60 - Mantendo a sanidade

A pandemia está mexendo muito conosco, internamente. Vamos conversar sobre lidar com o medo, a antecipação de acontecimentos que gera ansiedade, alguns desafios nos relacionamentos familiares e o nível de autocobrança, que pode facilmente ir para as alturas neste momento.

58868ca7-62e7-4cd3-9d0a-3bfa3c1563ee

No. 59 - Reclusos em casa

Como estamos vivenciando o distanciamento social para frear a pandemia? Neste episódio, vamos conversar sobre como o nosso estado de espírito tende a mudar no decorrer da quarentena e o que as pessoas estão fazendo para lidar com os desafios que surgem. É sempre confortante saber que não somos os únicos que passamos por certas situações. E quem sabe a gente possa se inspirar com a experiência de alguém.

80afd7cc-9c75-4913-9ebe-0409c4108010

No. 58 - Neste momento de crise

A intenção deste episódio é compartilhar algumas reflexões sobre este momento e lhe propor algumas ações para você se pacificar. Estamos todos precisando nos pacificar, para poder responder da melhor maneira possível à situação que está diante de nós.

2a5ffbfb-feab-426d-9f70-b2353d69d0dd

No. 57. Ansiedade pós-moderna - Parte 2

Vamos explorar outros aspectos dos nossos tempos pós-modernos que produzem ansiedade e angústia: a inconstância do mundo e a incerteza quanto ao futuro. Essas são características dos “tempos líquidos”, como dizia o sociólogo polonês Zygmunt Bauman, um dos grandes pensadores da atualidade. Uns mais, outros menos, somos todos afetados por isso, e não estamos sabendo o que fazer com isso. Então, este episódio é um convite pra gente buscar um entendimento sobre o que estamos vivendo.

1b29d668-1e46-4316-ac61-b6bff30b3ed6

No. 56. Ansiedade pós-moderna - Parte 1

Tudo começou com uma foto tirada num supermercado e que rendeu reflexões sobre a ansiedade na era pós-moderna, que é como alguns historiadores e sociólogos chamam os tempos atuais. Tempos em que o consumo e a tecnologia dão asas para a nossa tendência de antecipar o futuro e viver de expectativas, muitas vezes para escapar de um presente indesejável.

b3055616-fafa-449e-87b1-c9ab56bde39a

No. 55 - Dando uma virada na vida

Virada: a atitude de romper com algo que não está funcionando na nossa vida, tomar uma ação radical, mudar de direção. Neste episódio, você vai conhecer histórias de pessoas que deram uma virada mesmo sentindo medo, mesmo no sufoco, na doença, na dor. Elas se deram a chance de uma virada e hoje estão num lugar melhor. Inspire-se!

d754f865-531d-4037-97a1-1c916e25b913

No. 54 - Hackeie a sua mente

Vamos compreender como se formam e atuam os padrões cerebrais que definem as nossos pressupostos sobre a vida, influenciam nossas percepções e atitudes. Nesses tempos de incerteza e constantes mudanças, muitos desses padrões nos limitam. Se quisermos nos adaptar às mudanças e expandir nossas possibilidades, precisamos “hackear”, quebrar esses padrões.

410a14ac-0326-4eb9-ac5a-95351d8823b2

No. 53 - Mudança de hábitos

No começo do ano, estamos na vibe da mudança de hábitos. Mas as semanas correm, e nossas resoluções vão ficando pelo caminho... Vamos combinar, mudança de hábitos não é algo simples! Então, vamos conversar sobre isso. Entender por que é às vezes tão trabalhoso instalar um hábito na nossa vida, e, uma vez que ele se instala, tão trabalhoso desinstalar. E conhecer um método para mudar hábitos que são indesejáveis e incorporar aqueles que são desejáveis.

68f981f1-85b7-4e1f-b21f-e9767bcee5cf

No. 52 - Sobre estar contente com a vida

O que impede de nos sentirmos mais contentes com a vida? Pode ser a expectativa de uma felicidade completa, talvez a sensação de estarmos empacados, ou quem sabe a insatisfação por não termos (ou sermos) o bastante...Vamos refletir sobre isso? De repente você pode concluir que estar contentes não é uma consequência do que nos acontece, mas uma atitude que podemos cultivar em nossa vida.

6954e72c-fff6-4af8-923b-1d5b3196c400

No. 52 - Especial | Conversando sobre bem-estar

Como criar mais bem-estar em nossa vida? Nesta mesa-redonda com a participação de Regina Giannetti, podcasters dão sua visão sobre o assunto nas perspectivas da medicina, da ciência e das tradições da Índia.

aec54a5f-41e3-4844-b17f-d0e727a6d232

No. 51 - Precisamos falar sobre stress

Sabemos pouco sobre o stress, que é algo que iremos experimentar incontáveis vezes ao longo da vida. Neste episódio, vamos entender como ele funciona, conhecer suas fases e saber como gerenciá-lo.

9f1e01e8-ac20-438b-b562-c74a3fedc760

No. 50 - Quando o trabalho nos esgota

Neste mundo competitivo e hiperconectado, estamos ligados no trabalho muito além das oito horas diárias. Vivemos numa “sociedade do cansaço”, como diz o filósofo sul-coreano Byung-chul Han. Esse cansaço que a gente luta para combater, e até se culpa por sentir, pode se acumular ao longo do tempo e chegar ao extremo do esgotamento. Vamos refletir sobre nossa relação com o trabalho para não nos deixar adoecer.

f6fdb70e-93d2-4a00-96a6-f9a96872e18d

No. 49 - Dar e receber feedback - Parte 2

Dar feedback assertivo, ou seja, com franqueza, clareza, serenidade e respeito, não é algo que a gente nasce sabendo. Requer um aprendizado. Neste episódio, vamos falar sobre o momento, o lugar e o modo de dar feedback, utilizando princípios da Comunicação Não Violenta (CNV).

222f42d1-5292-45f4-8e99-a384e713ccd1

No. 48 - Dar e receber feedback - Parte 1

Dar e receber feedback não é algo banal, pois envolve relacionamento. Nossos julgamentos, autocrítica e emoções muitas vezes dificultam essas conversas, mas como são necessárias! O feedback é parte de uma vida com mais autoconsciência, em que a gente reconhece os nossos muitos aspectos, positivos e negativos. E uma vida em que também a gente se deixa conhecer e criar vínculos com outras pessoas.

3859d982-a4e1-4c67-bbbc-b33bb54bb7f0

No. 47 - O poder da autoaceitação

Vivemos ocultando nossas vulnerabilidades, com receio de não sermos aceitos. E quanta energia não investimos nisso? Em rejeitar, em evitar, em esconder. Quando enfim a gente se cansa de viver negando aspectos nós mesmos, e aceita um desses aspectos – um que seja –, é como tapar um buraco por onde vazava energia. A gente se sente mais forte. É uma sensação de poder.

Ter autoaceitação significa reconhecer e honrar tudo o que a gente é, com nossas capacidades e limitações, talentos e dificuldades, forças e fraquezas, sucessos e fracassos. A autoaceitação abraça todas as nossas emoções e pensamentos, sejam positivos ou negativos. Nos liberta para viver nossa humanidade com verdade e plenitude, aprendendo com a vida, e criando vínculos com outros seres humanos.

d42b3f09-8d70-4962-bda0-b95545008973

No. 46. Pacificando a voz da autocrítica | Meditação guiada

Este é um exercício para aqueles momentos em que nos sentimos mal conosco mesmos. Vamos acolher o que estamos sentindo e nos confortar. Vamos acalmar o nosso crítico interno, reconhecendo sua intenção de nos proteger. E vamos também aprender e crescer com a situação que nos trouxe mal-estar. Você pode ainda fazer essa meditação para praticar uma forma mais gentil de se relacionar consigo mesmo quando falha. Que você esteja em paz!

17d5a26b-4801-4dca-8b4e-7747ebff8ac1

No. 45 - A voz da autocrítica na nossa cabeça

Desde sempre que ela está aí. Ela é o nosso autofeedback. Um senso de “como estou indo, e o que preciso melhorar”. É algo que a gente assume como normal. Tão normal, talvez, que a gente nem se dá conta que ela está aí.

Outro fato sobre essa voz interna que nos critica é que normalmente ela tem um tom severo. Ela aponta os nossos erros. Reprova os nossos fracassos. Nos censura pelo que fizemos ou deixamos de fazer. Nos condena porque desapontamos ou prejudicamos alguém. E pra isso, ela usa palavras duras. Ameaçadoras. Ofensivas, até. Se já não bastasse a dor de cometer um erro, não atingir um objetivo, desapontar alguém ou ser censurados por algo que fizemos, criticar a nós mesmos só aumenta essa dor. Nos faz sentir culpa pelo que fizemos e vergonha por quem somos.

Como a grande maioria das pessoas, você provavelmente não vê outra maneira | de educar a si mesmo | que não seja pelo autocriticismo. Eu também não via, até pouco tempo atrás. Mas olha, existe uma outra maneira de lidar conosco quando falhamos, e nos motivar para o crescimento. Uma maneira benigna, mais gentil, de tratar a gente mesma nessas situações.



Existe uma base muito sólida da psicologia, da neurociência, que justifica uma maneira mais gentil de lidar com as nossas falhas, insuficiências e imperfeições. E olha, também não se trata de brigar com a voz do autocriticismo. Na verdade, é algo que suaviza essa voz. E muda a nossa relação conosco mesmos. E é sobre isso que eu venho compartilhar com você neste episódio.

2498e801-76a8-44a4-9081-a37318f824c2

No. 44- Sendo a paz que desejamos no mundo

Estamos lidando com problemas dos nossos tempos modernos, e ainda não nos livramos daqueles que sempre existiram: violência, corrupção, desigualdade, intolerância. Será esta a sina da humanidade, o eterno conflito entre o bem e o mal? Como manter um pouco de paz na mente vivendo nesse turbilhão?



Neste episódio, compartilho com você como vejo o que acontece no mundo do ponto de vista do nosso interior. O momento pede uma elevação de consciência, pra que a gente possa ver esse conflito com um olhar de compaixão.

7b4c9e5c-306b-4556-ab42-7f5e3f387d50

No. 43 - Quando nos cobramos demais

Nos cobramos por nossos erros, fraquezas, por não conseguir isso ou aquilo, por não ter as qualidades ou resultados que gostaríamos de ter. Tudo bem a gente querer se desenvolver, se aperfeiçoar como pessoas, cultivar qualidades e estabelecer certos objetivos para nós. Mas isso não justifica as cobranças ácidas que fazemos a nós mesmos. Então, neste episódio, vamos levar a luz do entendimento para a autocobrança. E quem sabe isso abra um espacinho no nosso coração para a gente cultivar autoaceitação, que é uma forma amorosa de nos motivar para o crescimento.

7a7d1a32-7844-4621-ae50-91522cc0ebdc

No. 42 - Quando um relacionamento nos irrita

Relacionar-se é algo extremamente desafiador, talvez até o mais desafiador da vida! Neste episódio, vamos explorar por que alguns relacionamentos nos tiram do sério, e olhá-los sob uma perspectiva que talvez seja nova para você. Como dizia Carl Jung, "tudo que nos irrita nos outros pode nos levar a uma compreensão de nós mesmos". Escute de coração aberto!

aa237c44-5190-42a1-a303-f92ad20ef60f

No. 41- Quando situações se repetem em nossa vida

É intrigante por que certas situações indesejáveis se repetem em nossa vida. Mas não se trata de carma, perseguição, nem infelizes coincidências: elas são influenciadas por nós mesmos, por padrões de comportamento que temos e geralmente não reconhecemos. Como dizia Carl Jung: “Até você se tornar consciente, o inconsciente vai dirigir a sua vida, e você vai chamar isso destino.” Vamos entender esse mistério.

38b413df-bcff-4541-974b-d4c7203a991c

No. 40 - Para um processo de aceitação | Meditação guiada

Esta é uma meditação para apoiar você a aceitar e lidar com uma situação que não está como você gostaria, ou que faz você se sentir infeliz. Vamos pacificar os sentimentos, deixar ir julgamentos e expectativas, reconhecer a situação como ela é e deixar o amor liderar.

Crie o espaço e o tempo adequados para esta meditação. Procure um lugar tranquilo, onde você possa ficar só, e inteiramente à vontade com você mesmo, sem ser interrompido.

c1fd6bf0-f15c-4672-88aa-16183da30dc5

No. 39 - Abraçando a vida como ela é

Nem tudo na vida é como a gente gostaria que fosse. Sempre falta alguma coisa, tem sempre algo que é motivo de insatisfação. E aí a gente questiona: "Por que a felicidade não pode ser completa? Eu me esforço tanto... Por que tem que ser assim?" Mas, quem sabe a gente possa abraçar nossa vida como ela é, e descobrir o que ela tem para nos oferecer.

ebd6fa2a-3837-42c7-aded-658262b6d927

No. 38 - Em momentos de mudança

Mudar é ótimo quando somos nós que tomamos essa iniciativa. Mas nem sempre a gente procura a mudança. Muitas vezes, é ela que se apresenta pra nós, sem ter sido chamada, sem ser desejada. Ela vem pra bagunçar a nossa vida, estremecer as nossas bases, tirar as coisas do lugar. É estas que a gente vai explorar aqui: as mudanças indesejadas.

872b070d-1521-4ea3-8372-e6d6127db412

No. 37 - Quando nos sentimos perdidos

Nossa mente divagante pode facilmente se perder no mar de possibilidades que o mundo oferece. Então, escolher torna-se um problema; decidir, um drama. Precisamos de um ponto de referência, um “lugar” onde a gente vivencia o que é real. Esse ponto de referência é o momento presente. E é nele que a gente pode ler a nossa bússola interna para se orientar na vida.

7c7a4758-4864-4629-89a1-9f4e459ad808

No. 36 - A felicidade nas pequenas coisas

A ideia de apreciar as pequenas coisas da vida é tão antiga quanto a filosofia. A novidade é que ela tem agora mais um fundamento, o da neurociência. Na visão científica, o bem-estar da felicidade é também efeito de ações intencionais que todos podemos ter. É uma experiência sempre disponível para nós.

db8d3a87-1f56-48b5-9f96-8e1de55292fb

No. 35 - Esse nosso desejo de aprovação

É legítimo a gente desejar ter a estima, o reconhecimento e o respeito dos outros. Até aí, tudo bem. Agora, nós não podemos depender da aprovação alheia para nos sentir bem conosco mesmos. O que vem do outro é sempre bem-vindo, mas não basta para nos preencher. O que nos preenche é o que damos a nós mesmos. A auto-estima tem que vir de dentro.

084cf55e-9e25-4db2-87ed-38370bf866e3

No. 34 - Quando nos comparamos aos outros

Nosso mundo é uma vitrine global de rostos bonitos, corpos sarados, casais apaixonados, férias perfeitas, pessoas bem sucedidas. A gente se compara com o que vê, e dependendo do que estamos vivendo, isso nos faz sentir insatisfeitos com algum aspecto da vida. Agora, por que nos comparamos? É possível viver sem essas insatisfações comparativas? É disso que trata este episódio.

1c4e494d-c519-435b-8290-d6a7fd88441c

No. 33- Nos momentos difíceis | Meditação guiada

Nos momentos difíceis, nos sentimos fragilizados, temos pensamentos pessimistas, julgamos, nos revoltamos, ou nos lamentamos. Vamos pacificar a mente e o coração com esta meditação.

e60e9f0f-57b8-4b92-abe6-8b33fb56a272

No. 32- Quando algo vai mal

Nosso cérebro é projetado para dar muito mais atenção a situações percebidas como negativas do que a positivas. E é bastante comum que a mente se enrede nessa negatividade, criando uma espiral de pensamentos pessimistas e preocupações. Isso em nada ajuda a sair da situação difícil: pelo contrário, amplia sua magnitude, nos desenergiza, desempodera. Precisamos fazer algo a respeito.

d4e2333e-fb56-4d3f-bcc3-feacb87ab7a7

No. 31- Tudo bem fracassar

Fracassar dói, e tentar a todo custo evitar o fracasso pode doer ainda mais. Mas é possível não sofrer tanto com as nossas falhas e tornar mais leve o aprendizado com elas. Tudo vai depender de como tratamos a nós mesmos quando fracassamos. De como explicamos pra nós mesmos as nossas falhas. De como lidamos com o nosso natural sentimento de fracasso. E é disso que a gente vai tratar aqui.

9fa29912-dc26-430d-a570-4ec8e3732021

No. 30- Quando o futuro preocupa

Algo que nossa mente faz para evitar o sofrimento é antecipar problemas, para prevenir hoje o que a gente não que que aconteça amanhã. Mas vale a pena se preocupar com o futuro? Eu penso que não. Ao imaginar o que de ruim pode acontecer, o cérebro reage como se aquilo estivesse acontecendo de fato, e isso gera ansiedade. Como disse o filósofo romano Sêneca, sofremos mais na imaginação do que na realidade. E neste episódio, eu compartilho com você o que faço para não sofrer com as preocupações com o futuro.

07a2f2c6-4ae5-44fd-9a1f-e158c90b1aae

No. 29 - Sem medo do medo

Talvez a gente precise compreender melhor o papel do medo em nossa vida. Deixar de nos nos julgar ou envergonhar por tê-lo, e aceitar o medo como algo natural e humano. Entender que evitar ou lutar contra o medo só o torna mais doloroso. E embora possa soar estranho o que eu vou dizer agora, a gente não deveria tentar afastar nem repelir o medo, mas, sim, acolher o nosso medo.



Eu não pretendo aqui dar uma fórmula, um passo a passo para você se libertar dos seus medos. Não há uma receita mágica para isso. Na verdade, transcender os nossos medos pode ser trabalho para uma vida inteira. Pra mim tem sido. Eu também tenho os meus fantasmas, que por muito tempo tentei sufocar, até começar a olhar para dentro do meu armário. E isso tem me tornado mais forte e mais livre. O meu convite aqui pra você é que apenas considere reconhecer, aceitar e acolher os seus, sem medo do medo.

4204a5da-58dc-48e4-9d06-f387f7badd2f

No. 28 - Tem um rato na cozinha | Sobre lidar com o indesejável

Como lidamos com situações indesejáveis que surgem em nossa vida? Que escolhas temos, e que qualidades do nosso coração podemos exercitar? Essas são algumas reflexões que ficam ao final dos sete dias em que um rato morou em minha casa.

bf608af2-d0cd-4b95-854c-e575ea6bf8f0

No. 27 - O que te realiza?

O propósito de vida dá um sentido maior à nossa existência. Nos preenche, nos nutre emocionalmente, dá força para enfrentar dificuldades e gera um sentimento de estarmos nos realizando todos os dias. Neste episódio, compartilho algumas reflexões sobre esse tema e experiências também, não só minhas, mas de pessoas que eu tenho a felicidade de conhecer e acompanhar. E quem sabe se desfaça um pouco do mistério que possa existir pra você sobre o propósito de vida.

9c00cdaf-d015-4555-a1f5-ccc766723f9a

No. 26 - Ao despertar | Meditação guiada

Cada dia pode ser um recomeço. Um dia nunca é igual a outro. Às vezes, a gente até acha que os dias são todos iguais, que nada diferente acontece, nada muda. Será? Os dias são iguais ou é a gente que faz tudo igual? Eu convido você a incorporar pequenas coisas para criar uma atitude mental positiva e mais energia para começar o seu dia. Porque você começa o seu dia, é como vive o seu dia; como você vive o seu dia, é como vive sua vida.

e6532e5f-4ef2-4775-8d60-ecf62def336f

No. 25 - Pra começar bem o dia

Eu convido você a incorporar pequenas coisas para criar uma atitude mental positiva e mais energia para começar o seu dia. Porque como você começa o seu dia, é como vive o seu dia; como você vive o seu dia, é como vive sua vida.

2e076083-540c-4c59-b0e7-cc5b90a54a8c

No. 24 - Para a virada de um ano

Vamos preparar nossa mente para um novo ano! Para que a gente abra uma nova página da nossa história com muita clareza do que quer escrever, e também do que não quer escrever nela. Pra que a gente não fique apenas reescrevendo as mesmas cenas das páginas anteriores, os mesmos problemas, as mesmas insatisfações, os mesmos conflitos. Mas, sim, escrever algo novo, projetos, experiências, aprendizados, realizações. Neste episódio, você também aprenderá práticas do coaching para trabalhar com suas metas.

2c56d00c-7101-4350-b3f5-9da68732679a

No. 23 - O ninho do sabiá | Sobre persistência x teimosia

Ultimamente, fenômenos da natureza têm me chamado a atenção. No inverno, foi a metamorfose de uma lagartinha verde, que me fez pensar sobre a confiança na vida. E agora, na primavera, são os sabiás que escolheram a minha casa pra formar seus ninhos, e me convidam a refletir sobre até onde vai a persistência e começa a teimosia.

fd44776d-5fa2-4423-823b-537d7475fc05

No. 22 - Pra entender a procrastinação, sem culpa

Fala-se bastante da procrastinação como uma fraqueza de caráter, algo vergonhoso até, e com sugestões meio simplistas para lidar com o assunto, do tipo “vai lá, faz e pronto”. Mas olha, a minha abordagem não é por aí. Já basta toda autocrítica, desconforto e culpa que a procrastinação causa, e não serei eu mais uma voz para amplificar isso! Minha intenção aqui é discutir o que está por trás desse comportamento e propor maneiras de lidar com ele com base na compreensão da nossa natureza, na honestidade e gentileza conosco mesmos.

be6760a0-0ddc-4cd7-92e5-6ded60dce0f9

No. 21 - Você não tem que ser perfeito

Hoje, com toda ênfase que a sociedade dá para a visibilidade, a popularidade e a competitividade, somos levados a criar altas expectativas sobre nós mesmos, nosso desempenho, nossos resultados. Isso gera um certo perfeccionismo que tem vários efeitos colaterais: ansiedade, frustração, descontentamento conosco mesmos, perda de autoconfiança. Vamos discutir, neste episódio, de onde tiramos essa ideia de ter que ser perfeitos.

5a7731b4-32c4-47c3-a1ea-977ace582051

No. 20 - Discutindo nossa relação com a comida

Comer é uma das atividades que mais fazemos distraidamente, sem atenção, no piloto automático. E, muitas vezes, o impulso e a escolha do que a gente come não vêm da fome, mas da vontade de comer para aliviar algum desconforto emocional. Neste episódio, compartilho com você um exercício para ter mais autoconsciência na relação com a comida.

5b065da0-0a9a-47f9-b371-861281e99496

No. 19 - Com quem você realmente compete?

Este é mais um daqueles meus “causos”. De um ponto de vista talvez mais comum, foi uma experiência mal sucedida. Mas também é possível ter um ponto de vista de ganhos dessa experiência, ganhos de autoconsciência, de maior conhecimento de mim mesma. A vida pode ser muito rica quando a gente vê valor nas nossas experiências. No final, o que ficou pra mim foi uma reflexão sobre com quem a gente realmente compete, e o que a gente realmente ganha quando compete.

4f1e256e-0b0a-4468-b3ba-9cbc97174cd6

No. 18 - Desacelerando a mente para o sono | Relaxamento

Quando a mente está agitada, cheia de preocupações, ela briga com o sono. Nesta meditação, vamos interromper o fluxo de pensamentos, colocando a atenção em sensações do corpo e relaxando. Com isso, a mente desacelera. E mais calma, ela se rende ao sono. Apenas solte as expectativas sobre adormecer logo. Você não tem que conseguir nada. Apenas deixe acontecer.

Você também poderá fazer essa meditação em qualquer momento em deseje relaxar, não apenas na hora de dormir.

94463e1e-44ea-45fa-af1b-17ff52379ce5

No. 17 - Nas noites insones

Eu bem sei o que é ter noites insones, e vou compartilhar com você o que aprendi sobre a dificuldade para dormir. Vamos explorar algumas causas da insônia ligadas ao nosso modo de vida, ao stress e à ansiedade. E também conversar sobre como a meditação nos ajuda a dormir – e viver – melhor.

UM PODCAST QUE ENTENDE VOCÊ